MathewBMW

MathewBMW

105p

2,406 comments posted · 88 followers · following 89

36 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Os conceitos esquecido... · 0 replies · +2 points

Concomitante a esses projetos, a Bentley e a Audi quase tiveram seus hipercarros no topo da VAG. Em '99 vimos o Hunaudières e, um ano após, o Rosemeyer. Pelo que compreendi os conceitos foram apenas para ilustrar as páginas dos livros, sem real intenção de serem produzidos, mas o interessante é que usaram o W16 já, o que mostra que a Bugatti não usaria de fato o problemático W18. Forçosamente seria a relação dentro da Ford entre o projeto do F-Type dos anos 80 (XJ41) e a criação do DB7 para a Aston Martin.

36 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Rito de passagem: vocĂ... · 0 replies · +4 points

A nova geração da M3.

Acho que a BMW nunca errou com a M3. Tanto em visual quanto em mecânica. A nova geração só possui uma crítica, que é com relação à direção eletrohidráulica. Mas isto é algo que veremos em todos os carros a partir de agora, bem como o uso de indução forçada. Como o texto muito bem disse, o corte deste motor é aos 7600 rpm. Procurem algum motor com uso de turbocompressores que seja vendido hoje e que tenha mais rotação do que este. Nem a C63 AMG atual tem. Só existe uma resposta: motor M838T da McLaren 12C (e seu derivado que vem na P1, claro). Achei brilhante o trabalho que fizeram com o S63Tü da M5 F10, o que o deixa em personalidade muito diferente do M157 da E63 AMG. Por mais que sejam ambos V8 de virabrequim cruzado e com dois turbocompressores, são bem diferentes em tocada. É como um câmbio automatizado hoje, não é mecânico, mas ao longo desses 15 anos que ele vem sendo oferecido o que se conseguiu de aprimoramento é algo digno de nota. Parece frescura, parece buscar soluções pra problemas que não precisavam existir, mas a M4 honra a tradição ///M conciliando com as "exigências" do mercado.

36 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Qual o seu post favori... · 0 replies · +1 points

O de maior impacto internacional. Chris Harris sobre o esquema da Ferrari.

49 weeks ago @ Jalopnik Brasil - [RESULTADO] Os V12 da ... · 0 replies · +1 points

Pagani Zonda.

Já pude dirigir uma Murciélago 6.2 Roadster de um conhecido e, um pouco antes havia guiado uma Gallardo SE, ou seja, ambos carros da primeira geração Audighini, antes de reestilizarem com as 'Longitudinale Posteriore'. Hoje o desenho delas não impressiona tanto assim, muito menos o interior no caso da Murciélago. Garanto que (com exceção dos bancos) um Audi R8 a bate de 10 a 0, em design e acabamento. O trem-de-força: 520-580 cv. Câmbio E-Gear tão ruim quanto o SMG-III pra se conduzir. Sem contar que adoram vazar óleo, coisa de carro italiano. Ter uma com seus 10 anos de uso é querer muito "andar de Lamborghini", pois F430, 599 GTB Fiorano e os alemães atuais dão aula de como ser um supercarro para ela. Depois com a LP640 corrigiram a falta de performance, melhoraram o visual e chegaram à LP670-4 SV, aí sim uma Murciélago admirável. Diferente do Zonda, que desde o C12S 7.3 conquista todo mundo que anda. A Pagani constrói carros com aquela paixão italiana clichê, não tendo que apelar para um design feito por um menino de 15 anos (que também gosto, por sinal) pra vender carros.

49 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Flatout.com.br: Veja c... · 0 replies · +3 points

Este fim de semana me senti em Dubai. Guiei com um amigo proprietário de uma loja de importados uma SLS AMG e uma SLR McLaren. Quem não quiser acreditar pule o comentário. Fizemos retomadas e as testamos da 'maneira apropriada'. Alguns meses atrás eu já havia testado na rua a SLR e já tinha comentado com uma turma de que o carro era muito mais divertido do que a SLS, no sentido de ser um "motor puxando o banco", são meros 80 kgfm. Foi só isso que pude conferir. Agora ontem, ao lado da SLS, conseguir notar muito bem quão grande é o abismo entre os modelos da AMG de uns anos pra cá. O marco é exatamente a CLK63 Black Series e a C63 AMG (quando oferecida com LSD). Tenho em casa uma E63 AMG W212 e a diferença para a W211 é gritante, pois ambas se separam por esta nova geração da Mercedes. Talvez seja o trem-de-força, mas creio que seja muito mais pelos ajustes e aulas indiretas com a rival bávara. Olhando estes modelos acima só consigo pensar na SLR. Torque, torque, torque e fumaça. É legal sim, hoje a Brabus faz esse serviço. Mas dinamicamente não devem ser lá essas coisas.

49 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Tudo o que vocĂȘ preci... · 0 replies · +6 points

Sempre aprendendo com os erros do passado. Nessa categoria não há como divergir muito da receita alemã. O X-Type, apesar de ser muito bonito por fora (afinal de contas, era quase um XJ pequeno), não passou de um Ford Mondeo com perfumarias. Lendo essa notícia percebe-se claramente que eles não estão dispostos a errarem neste carro. Conseguir rivalizar com os alemães não é difícil hoje (coisa que 20 anos atrás era bem difícil), vide Cadillac ATS e Lexus IS novos. O motor V6 sobrealimentado está pronto já, resta este novo I4 de Wolverhampton. Dinâmica? Conseguiram conquistar a Europa com o F-Type.

50 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Audi lançarĂĄ RS6 Ava... · 0 replies · +2 points

Duas portas já existe o TT RS. E convenhamos que o Mk2 duas portas tem uma traseira bem mais feia do que o Sportback.

50 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Qual foi a experiĂȘnci... · 0 replies · +1 points

Ouvir o Mezger de um 997 GT3 3.8 RS, sendo copiloto. E fazer controle de largada em um 997 Turbo S.

50 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Audi lançarĂĄ RS6 Ava... · 2 replies · +13 points

Porque ainda não existe RS 3 dessa geração. Aparece no começo do ano que vem.

52 weeks ago @ Jalopnik Brasil - Este Ă© o Peugeot 308 ... · 0 replies · +1 points

O novo 308 é o carro-chefe para a tentativa da PSA de recuperar os números vermelhos. No último semestre abocanharam apenas 11% do mercado europeu, ficando o 308 em décimo lugar em vendas na sua categoria. Com essa nova geração querem o "efeito Golf" para atrair clientes para os outros carros da marca. Essa versão esportiva serviria como halo car, portanto. Um erro utilizar o 1.6 THP no eixo dianteiro sem uma tração integral, nem que seja sob demanda. Não é porque correm no WRC que um carro projetado para a rua receba os mesmos cérebros por trás. Algumas pessoas ainda acreditam que os engenheiros da Audi Motorsport das Le Mans e Touring Competition são os mesmos da quattro GmbH que faz o R8 e os modelos RS.